Água Fresca Lingerie lança coleção com nova proposta

Países com culturas diferentes, que se tornam únicos por estarem localizados no continente americano e falarem línguas originadas do latim – esta é a América Latina. A região, com suas diferentes características, foi o tema escolhido para a Coleção de Inverno 2014 da Água Fresca Lingerie. As peças buscam transmitir emoções e tocar a alma das clientes. Ritmos musicais, gastronomia, fauna e flora dos países serviram de inspiração. “Assim como nossa grife, a América Latina é, ao mesmo tempo, múltipla e única. Composta por países tão diferentes entre si, mas unificados pela latinidade”, conta a diretora da marca, Juliana Moraes. A denominação Anima leva esse sentimento, pois a palavra vem do latim e significa “alma”.

“Recriar cada momento belo já vivido e ir mais atravessar fronteiras do amanhecer e ao entardecer olhar com calma então”

A ideia para a coleção teve início após uma viagem da estilista, Julia Zingoni, ao Peru, em 2013. Encantada pelas peculiaridades do país, sentiu-se inspirada a criar. E, como a América Latina está em evidência, em função da Copa do Mundo e das Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016, a marca decidiu acompanhar a tendência mundial e também celebrar a cultura latina.

“Alma, vai além de tudo o que o nosso mundo ousa perceber casa cheia de coragem, vida todo o afeto que há no meu ser te quero ver, te quero ser alma”

Juliana Moraes revela, ainda, que esta é a coleção mais ousada já produzida pela grife. “E a ousadia estará em tudo que envolve a comunicação da marca, principalmente no catálogo, que utilizou fotos externas com muitos elementos naturais, inclusive nos adornos que enfeitam a modelo”, afirma a diretora. O conceito das fotos também foi desenvolvido a partir de movimentos de dança e inspirados nos ritmos latinos.

“Alma, vai além de tudo o que o nosso mundo ousa perceber casa cheia de coragem, vida tira a mancha que há no meu ser te quero ver te quero ser alma”

Tons

Durante a produção da coleção – que levou cerca de um ano, entre pesquisa e execução, foram reunidos cortes diferentes, tecidos nobres e estampas exclusivas. As combinações de cores vieram mais sóbrias, como pede uma coleção de inverno, com peças mais intensas. O preto dá destaque ao tule, nas famílias Enamorar e Romanza, combinados com o roxo e o vermelho escuro.

Até mesmo a linha Samba, que traz um nude básico, veio ousada, com tecido em micro fibra e malha Raya, exclusiva da Santaconstancia. A mesma que produziu um tule estampado que, com renda aplicada, deu origem à linha Lápis Lazuli, em homenagem à pedra nacional do Chile. E, falando em tecidos exclusivos, um tule flocado, da italiana Miroglio, deu origem à linha Tango.

A seda pura – um dos tecidos mais conhecidos, elegantes e atemporais – também está em várias peças da coleção, como as da família Asas, que trazem estampas de borboletas azuis, típicas das florestas tropicais da América do Sul, e conhecidas por serem as mais bonitas do mundo.

“Viajar nessa procura toda de me lapidar neste momento agora de me recriar de me gratificar de busto, alma, eu sei casa aberta onde mora o mestre, o mago da luz onde se encontra o templo que inventa a cor”

Sobre as estampas

As estampas vêm mais sóbrias, mas nem por isso menos alegres. A linha Miraflores segue uma tendência internacional de estampas florais e traz uma leitura mais escura, combinando tons sóbrios de azul, roxo e vermelho. Além das rosas, lírios e margaridas impressas nas imagens, as rendas também tem motivos florais e trazem a tendência de maneira refinada e delicada, como pede o próprio tecido. Uma versão mais jovem dessa família traz tons mais vivos, como tangerina, amarelo açafrão e azul cobalto. As flores ficam impressas sobre uma base mais escura, sem abandonar a característica da estação, que pede peças mais sóbrias.

Tendência herdada de outras estações, a animal print continua no inverno, como já anunciaram as passarelas internacionais. A Havanera é uma família que traz esse elemento fashion repaginado, com tons de rosa que fogem da tradicional estampa de onça, mas sem perder a sensualidade que lhe é inerente.

Todas as linhas possuem a opção de três calcinhas para cada sutiã. “Pensamos sempre na praticidade para a cliente. O sutiã tem um tempo de vida maior que a calcinha. Nada mais justo que oferecer mais opções, para que o conjunto inteiro dure mais”, diz Juliana.

“Animará o amor Onde se esquece a paz”

Temperos latinos

O ícone escolhido para traduzir a coleção foi a pimenta. “Ela está bastante presente na culinária dos países latinos, além de ser quente e, assim, representar o clima e o povo da região. É o típico tempero latino”, conta Juliana. O símbolo que representa a coleção foi transformado em um chaveiro, desenvolvido com exclusividade pela mineira Raquel Braga, badalada designer de joias.
As múltiplas faces da América Latina reunidas em uma só coleção já estão disponíveis nas lojas da Água Fresca Lingerie.